quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Casal acusado de enterrar recém-nascido já está em liberdade

Ana Cláudia e Daniel
Já está em liberdade o casal Ana Cláudia e Daniel dos Santos, acusados de enterrar o corpo de uma criança no último final de semana. O delegado que preside o inquérito afirmou que a prisão do casal estava ilegal.
Retrospecto – Ana Cláudia Delmonte e Daniel dos Santos Pereira foram presos na noite de terça-feira acusados, primeiramente, de infanticídio e ocultação de cadáver. Três dias antes, o casal esteve em um motel na 30ª Rua, onde a mulher, que estava grávida, entrou em trabalho de parto e deu à luz uma criança, que morreu em seguida. Provavelmente, na tentativa de se livrar de uma eventual prova de adultério, Daniel teria enterrado o corpo em um amontoado de areia em frente a uma oficina. O corpo foi encontrado por um morador na manhã seguinte.
Depois de seguir várias informações, a Polícia Militar conseguiu localizar Ana Cláudia em uma casa noturna na travessa 13 de Maio. A jovem confessou ser a mãe da criança e delatou Daniel, que foi preso na casa dele, no residencial Viva Itaituba. O caso comoveu e, ao mesmo tempo, revoltou a opinião pública. Ana Cláudia, por exemplo, por pouco não foi vítima da fúria popular, já que havia um grupo de mulheres que planejava fazer justiça com as próprias mãos. Mas isso atrapalharia todo o processo. Ana Cláudia e Daniel foram detidos e apresentados ao plantão da Seccional de Polícia.
O casal passou menos de vinte e quatro horas preso e foi liberado às 21h30 de quarta-feira (27). Essa informação reacendeu a chama da revolta em boa parte da população, que faz a sua própria avaliação do caso e condena a atitude da polícia. Por outro lado, existem dispositivos legais que impedem a manutenção da prisão do casal, que foi preso fora da situação de flagrante.

Segundo o delegado José Dias Bezerra, que preside o inquérito, na conclusão da primeira fase das investigações, ficou definido que houve negligência e omissão por parte do casal. A criança não recebeu os devidos cuidados ao nascer; deveria ter sido encaminhada a uma unidade de cuidados intermediários, ou um centro de atenção neo-natal. Mas houve duas situações. Primeiro, Ana Cláudia incorreu em homicídio culposo (quando não há intenção de matar). Daniel, por sua vez, incorreu no crime de ocultação de cadáver. Ambos podem responder em liberdade, o que não significa impunidade. Eles serão submetidos a julgamento, e, caso sejam condenados, poderão pegar penas variáveis. No caso de Daniel, a pena vai de um a três anos de prisão.

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Monte Alegre (PA): Criança vítima de naufrágio devorada parcialmente por piranhas

Familiares suspeitam que a criança se afogou antes de ser devorada
Naufrágio aconteceu em Monte Alegre, na tarde desta terça (27). >>> Uma criança de 6 anos morreu após naufrágio de uma pequena embarcação que aconteceu por volta das 14h desta terça-feira (27), no Rio Maicuru, na comunidade Cauçu, em Monte Alegre, oeste do Pará. Quando Adrila Muniz foi encontrada ela já estava morta e parte do corpo estava com sinais de ataque de piranhas.
Segundo relatos de familiares, Adrila estava com outras crianças e a avó em uma canoa que virou. A avó tentou salvar a menina, mas não conseguiu segurá-la.
Moradores da comunidade iniciaram as buscas logo após o ocorrido e encontraram o corpo. A suspeita dos familiares é que a menina tenha se afogado e depois foi atacada por piranhas. O corpo foi levado para o necrotério do Hospital Municipal de Monte Alegre e já foi liberado para a família. Adrila morava na comunidade de Cupim, no município de Prainha e estava passando férias com os avós na comunidade Cauçu. (Fonte: Rádio e TV Tapajós)

Execução: Ex-presidiário abatido a tiros na Praça do Congresso

Fabrício tombou sem chance de defesa
Fabrício dos Santos Silva, 33, foi executado com, pelo menos, três disparos de revólver calibre .38 na Praça do Congresso, na avenida Nova de Santana, zona central de Itaituba, Oeste do Estado. Fabrício era ex-presidiário e havia saído da prisão nesta terça-feira, sendo morto horas depois de ganhar a liberdade. Ele havia sido preso por suspeita de envolvimento em um crime de sequestro ocorrido na região do Aruri, município de Trairão.
Segundo informações do sargento Renato Coelho, da Polícia Militar, que comandou a guarnição que foi atender à ocorrência, Fabrício era velho conhecido dos registros policiais por envolvimento com os crimes de tentativa de homicídio e homicídio, furto, roubo, assalto, extorsão, formação de quadrilha e tráfico de drogas. "Certamente ele fez muitos inimigos. Essa situação aqui tem características de execução por acerto de contas", disse o sargento, que ainda ressaltou que uma testemunha foi convocada para comparecer à Seccional de Polícia para auxiliar nas investigações.
Execução - Era por volta das 22h30 desta terça-feira (27). Fabrício estava na Praça do Congresso conversando com um amigo quando foi surpreendido pela chegada de dois homens em uma motocicleta. Sem descer do veículo, um dos homens disparou cinco vezes. Pelo menos três a quatro disparos atingiram a cabeça da vítima, que tombou morto ao lado da moto em que estava, uma Yamaha YBR, de placa NPK-2769, de Lucas do Rio Verde (MT). Uma enorme poça de sangue se formou no local, que logo foi invadido por curiosos. A PM foi acionada e compareceu para preservar o local do crime. Uma irmã de Fabrício também chegou e fez o reconhecimento do corpo.

A equipe técnica do Centro de Perícias do Instituto Renato Chaves (CPC/RC) também chegou ao local para fazer o levantamento preliminar e a remoção do corpo, que foi conduzido para procedimento de necropsia. O caso foi comunicado ao plantão da Seccional de Polícia, que deverá instaurar inquérito para apurar a motivação e identificar os autores do assassinato.

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Preso casal que enterrou recém-nascido em cova rasa

Ana Cláudia 'entregou' participação de parceiro no crime
O crime chocou a opinião pública pelo requinte de crueldade com que foi cometido. Na manhã de sábado, o corpo de um recém-nascido parcialmente enterrado na areia, foi encontrado em frente a uma oficina, às proximidades de um motel, na 32ª Rua do bairro Santo Antônio. Uma guarnição da Polícia Militar foi destacada para preservar o local. As investigações foram desenvolvidas pela própria PM, mas com poucas informações. Já na noite de segunda-feira, dois dias depois do crime, uma informação levou a polícia até a jovem Ana Cláudia Delmonte Pereira, de 21 anos de idade. Ela estaria começando a trabalhar em uma casa noturna na travessa 13 de Maio. Foram feitas as primeiras incursões, mas sem resultado. Em seguida, uma nova informação alertava a polícia. A jovem havia confessado o crime para as colegas de trabalho, e as mulheres já se mobilizaram para fazer justiça com as próprias mãos. Minutos depois, a PM faz a detenção da acusada. Ela foi interrogada e logo admitiu a culpa.

Ana Clara disse que estava grávida de quatro meses, mas isso só será confirmado através de laudo da perícia. Ela também confessou que a criança ainda estava viva quando foi enterrada. Mas Ana Clara não fez tudo sozinha. Antes de passar pelo aborto, a jovem contou que consumia drogas no quarto de um motel acompanhada de um homem, que ela disse se chamar “Daniel”. A polícia foi a três lugares, antes de localizar o suspeito. Primeiro, na 28ª Rua, bairro São Tomé. Em seguida, na 15ª, no mesmo bairro, onde a polícia foi informada de que o homem, identificado como Daniel dos Santos Pereira, 29, estaria na casa dele, no residencial Viva Itaituba. Mais uma investida, desta vez com sucesso. Daniel já estava dormindo quando foi “visitado” pela polícia. O suspeito tentou argumentar, mas foi reconhecido e incriminado pela mulher, que já estava detida. “Daniel” recebeu voz de prisão e foi conduzido para a viatura para ser apresentado ao plantão da Seccional de Polícia. Ele foi apontado como a pessoa que enterrou a criança. Depois de efetuadas as prisões, o subtenente Antonio Dutra, que comandava o grupo de policiais voltou a conversar com a reportagem, e confessou que, apesar de três décadas como policial, poucas vezes acompanhou um caso tão chocante.
Ana Clara e Daniel indiciados
Em Tempo - A polícia informou, ainda, que o casal já estaria fora da condição de flagrante, mas que pode ser pedida a custódia preventiva como medida cautelar. Também será aguardado o laudo do IML, para saber exatamente o período de gravidez e as condições clínicas em que a criança estava ao nascer. Só então será possível fazer a devida tipificação penal, que pode incluir homicídio, infanticídio ou ocultação de cadáver.

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Presidente de subseção da OAB Pará é assassinado em Manaus

Jackson havia alertado sobre ameaças de morte
O advogado Jakson Souza e Silva, presidente da Subseção de Parauapebas da OAB-PA, morreu na noite do sábado (24), com um tiro de escopeta caseira, no bairro Redenção, Zona Centro-oeste de Manaus. Segundo informações da Polícia Militar, testemunhas afirmaram que a vítima foi abordada por dois homens em uma moto enquanto andava em via pública, quando um dos sujeitos atirou, atingindo seu abdômen. Jakson, que era presidente da Seccional de Parauapebas da OAB-PA, chegou a ser socorrido e levado ao SPA Alvorada, mas não resistiu aos ferimentos. A nota de falecimento foi divulgada na manhã deste domingo (25), pela prefeitura de Parauapebas, onde o advogado - natural de Santana do Araguaia (PA), trabalhava. Com ele, foram encontrados R$ 1,9 mil em dinheiro, notebook, celular e cartão de crédito. Seus pertences não foram levados e os criminosos fugiram logo após a execução. Contactada pela polícia, uma sócia do advogado afirmou que não sabia que ele estava viajando para Manaus.
O advogado paraense Jakson Souza e Silva, morto com um tiro em Manaus no sábado (24), já havia alertado sobre ameaças de morte que vinha recebendo. Ele era presidente da subseção da OAB de Parauapebas, no Pará. Há cerca de uma semana, Jakson denunciou em Belém que estaria sofrendo as ameaças, informando que temia ser assassinado pelos mesmos supostos autores da morte do advogado e vice-presidente da subseção da OAB-Pará, em novembro passado, e do atentado a tiros contra o jornalista e blogueiro Wandernilson Santos da Costa, o “Popó”.
A execução de Jakson ocorreu da mesma forma de Dácio, que veio a óbito, e de Popó, que sobreviveu: dois homens em uma moto, quando um atirou. “Tenho família, quatro filhos e temo sobre o que pode me acontecer”, disse Jakson na ocasião. Questionada pela polícia, uma sócia do advogado afirmou que não sabia que ele estava viajando para Manaus.

Fonte: http://www.portaldoholanda.com.br/

Desastre Ecológico - Milhares de peixes morrem por causas desconhecidas na 'Lagoa do Irajá'

Fenômeno matou milhares de alevinos e peixes maiores
Até o momento, não foi dada uma explicação lógica que possa esclarecer o que vem acontecendo no manancial conhecido como "lagoa do Irajá", localizado às proximidades do bairro Vitória Régia, na antiga invasão do Botinha. Nos últimos dois dias, milhões de peixes de pequeno tamanho e de várias espécies morreram. Moradores dos arredores foram surpreendidos pelo fenômeno, que deixou uma grande preocupação, principalmente porque o local era considerado como uma alternativa para pessoas de baixa renda, que sempre pescavam para complementar a sua alimentação. A reportagem do Blog esteve no local, onde foram registrados fotos e vídeos para divulgar o assunto. Crianças e jovens que brincavam no local ficaram assustados. Segundo eles, foi a primeira que viram tal situação. "Eu fiquei muito triste com isso. A gente vê tanta gente com fome, querendo comida, e um monte de peixes assim, tudo podre. É triste", disse a pequena Janice Oliveira, de 14 anos. Taynan, também de 14 anos, disse que ficou até com medo de chegar perto da lagoa. "Eu nunca tinha visto isso. A gente vê esses peixes, traíra, cará-tinga e outros tipos, assim, morto. Eu fico com medo até de ficar aqui perto", depôs.
Os peixes em decomposição...
...Se acumulam nas margens da lagoa
Nesta ápoca do ano, a lagoa alcança até 14 mil metros quadrados em toda sua extensão e é pouco utilizada para o lazer ou utilidades domésticas, como a lavagem de roupas. O entorno já tem mais de 80% da sua área ocupada de forma desorganizada e sem nenhum planejamento. A realidade atual pode ser consequência disso. Fato é que esse 'presente da natureza' está sendo gradativamente destruído pela ação do homem. Crime ambiental ou desastre natural? Não importa. Ambos os casos são resultado da ambição e da especulação. Mas a natureza tem suas estratégias. Quando ocorre naturalmente, este tipo de fenômeno acaba sendo contornado mais adiante por conta própria. E os recursos pesqueiros acabam se recompondo naturalmente.
O assunto foi levado ao setor de fiscalização da Secretaria de Meio Ambiente de Itaituba (Semap), que destacou uma equipe para averiguar a informação. No local, os fiscais disseram que não poderia gravar entrevista, mas fizeram algumas suposições acerca do que pode estar acontecendo. Segundo eles, a fermentação da água pode ter um dos fatores contribuintes para o fenômeno. Pode estar havendo, também, uma reação provocada por uma ação externa. Esta ação seria a grande quantidade de lixo depositada no entorno da lagoa. Em pouco tempo, o lixo se decompõe e produz uma substância conhecida por "chorume". Esse composto é carreado pela enxurrada para a lagoa e acaba provocando uma nova reação, que, dependendo do seu produto de origem, pode ser benéfica ou maléfica para o manancial. Nesse caso, é possível que tenha sido criada ali um tipo de "maré vermelha fluvial", ou um conjunto de bactérias e enzimas que se multiplicou rapidamente e suprimiu parte do oxigênio, provocando  a morte por asfixia. Mas isso, por enquanto, são apenas suposições. Infelizmente, ainda não é possível definir uma causa exata porque o único laboratório de água disponível para a Secretaria só é adequado para análises básicas, não podendo identificar uma causa mais complexa.

domingo, 25 de janeiro de 2015

Corpo de recém-nascido é encontrado parcialmente enterrado na areia

Esta notícia será postada com ilustração simbólica porque as imagens são chocantes. Mais grave ainda é ver que parte do pequeno corpo já havia sido devorada por urubus. O pequeno cadáver foi encontrado na manhã do último sábado (24) por um rapaz que não quer ser identificado. Ele mora ao lado de uma oficina na 32ª Rua, bairro de Santo Antônio, a poucos metros da rodovia Transamazônica. Foi logo que o dia amanheceu que o jovem saiu de casa e percebeu a presença dos urubus. Ele foi averiguar do que se tratava e acabou tomando um susto ao ver a cena. Uma criança morta parcialmente enterrada na areia, do que se notava apenas a perna direita.
Moradores das proximidades acionaram a Polícia Militar, que deslocou uma guarnição para preservar o local. O próprio sargento Araújo, que comandava a guarnição ficou chocado com o que viu.
Um grupo de socorristas do Samu também foi até o local, mas não havia nada a ser feito pela criança, que aparentava estar morta há pelo menos um dia. A técnica em enfermagem Maria Antonia, que tem certo conhecimento por trabalhar na saúde pública, calcula que o bebê já estava formado e dentro do período certo para o nascimento.
A equipe do Centro de Perícias do Instituto Renato Chaves foi acionada para fazer a remoção. Neste momento, as imagens ficam mais fortes, quando o pequeno corpo é retirado do seu túmulo improvisado. “Preliminarmente, calculamos que esta criança estava dentro do prazo de nove meses para o nascimento. Porém, identificamos que ela está sem crânio, o que significa que pode ser um ‘natimorto’. Nós vamos encaminhar os restos mortais e fazer coleta de material, com o objetivo de favorecer uma investigação e identificar a mãe através do DNA”, disse o perito criminal Adson Wendel.

O caso foi comunicado ao plantão do delegado José Dias Bezerra, diretor da 19ª Seccional de Polícia. Segundo ele, já foi instaurado inquérito para investigar o caso. Uma primeira providencia será levantar a presença recente de mulheres grávidas às proximidades do local onde o pequeno cadáver foi encontrado.

sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

Polícia investiga morte de "Thiaguinho"

Thiaguinho era velho conhecido dos registros policiais
Dois suspeitos foram encaminhados para prestar informações sobre o crime de homicídio ocorrido no início da manhã de hoje >>> Segundo detalhes repassados pelo Serviço Reservado da Polícia Militar, o assassinato ocorreu no início da manhã desta sexta-feira (23) em uma residência localizada na sub-esquina da 8ª Travessa com a 8ª Rua, bairro da Liberdade, às proximidades da escola Dom Pedro I. A vítima foi o jovem Thiago Batista, conhecido por “Thiaguinho”, velho conhecido dos registros policiais, com incontáveis passagens pela polícia, sob acusação de furto, roubo, assalto e outros delitos.
Sem defesa, vítima foi esfaqueada enquanto dormia
O crime foi cometido de forma misteriosa, mas a polícia já tem alguns indícios que podem encaminhar para a autoria. Dentre esses indícios, se destaca a informação de que, na madrugada desta sexta-feira, foram cometidos vários assaltos e há suspeita de que Thiaguinho e seus costumeiros comparsas. Inclusive, o assassinato ocorreu exatamente na casa de propriedade do padrasto de “Iguinho”, um adolescente de 16 anos que também é velho conhecido da polícia.
Saci é apontado como suspeito do crime
Na residência estavam “Iguinho”, “Bruninho” e “Saci”, um trio que costuma agir na calada da noite e pelas madrugadas, abordando as vítimas e tomando celulares e outros valores. “Iguinho” informou aos policiais que todos dormiam e, quando foi por volta das 07h, ele saiu para comprar pão. “Thiaguinho” dormia no quarto dos fundos. “Quando o ‘Iguinho’ retornou, o ‘Thiaguinho’ já estava esfaqueado e agonizando”, relatou um policial do Serviço Reservado.

Em respeito a esses detalhes, a polícia fez a detenção de “Iguinho” e, em seguida, de “Saci”, que teria sido visto, na noite anterior, no bairro do Bom Jardim, portando uma faca tipo peixeira, exatamente o tipo de instrumento utilizado para tirar a vida de “Thiaguinho”, que morreu em conseqüência de acirrada hemorragia provocada por duas perfurações na região do pescoço.


“Iguinho” e “Saci” foram encaminhados para a Seccional de Polícia, onde foi instaurado inquérito para apurar as circunstancias do homicídio, que, na opinião da delegada Suelen Reis, que preside o inquérito, está praticamente solucionado.

quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

Polícias Civil e Militar flagram esquemas de tráfico de drogas em Juruti



"Russo" e "Nelson", parceiro do tráfico em locais diferentes
No início da semana, as Polícias Civil e Militar deram prosseguimento à Operação “Juruti Sem Drogas”, que visa reprimir o tráfico de entorpecentes na região. Duas pessoas acusadas de envolvimento no esquema criminosa foram presas em flagrante, nas últimas horas, na cidade, durante a ação policial.
Luiz Rodrigo Gomes, 35 anos, conhecido como Nelson, e Rende de Sousa, 21, de apelido Russo, foram flagrados em dois pontos diferentes. Sob comando do delegado Arthur Nobre, titular da Delegacia de Juruti, a operação policial conta com levantamentos efetuados pela equipe de investigação da região para identificar pontos de venda de drogas ilegais.
Durante as investigações, foi identificada a atuação dos acusados. Um deles, Luiz Rodrigo Gomes, é cabeleireiro e utilizava o salão de beleza de sua propriedade para traficar drogas de forma camuflada na tentativa de não despertar suspeitas da Polícia. Conforme o delegado, com base nas investigações, os policiais civis e militares ficaram em campana perto dos locais usados como pontos de venda de drogas pelos acusados. “Tínhamos informações de que eles estavam recebendo drogas nos locais”, detalha o delegado. Com os presos, foram apreendidos drogas, celulares e dinheiro. Os presos permanecem recolhidos à disposição da Justiça.

quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

Falsários de Altamira presos em Trairão


Cristiano e Sávio tentaram subornar policiais e incorreram em outro crime
A Polícia Civil de Trairão prendeu, na última terça-feira, a dupla Cristiano Ferreira, 27, e Sávio Freitas Leão, 19, sob acusação de falsificação de moeda. Segundo o depoimento dos acusados, eles estavam vindo da cidade de Altamira e já teriam repassado cerca de R$ 2,5 mil em notas falsas pelas cidades ao longo da rodovia Transamazônica. Cristiano e Sávio foram presos em um hotel de Trairão, depois de a polícia receber denúncias de comerciantes do distrito de Caracol, que comprovaram a denúncia apresentando algumas notas falsas que teriam sido repassadas pelos acusados. Com a dupla foram apreendidos vários objetos adquiridos com o uso das notas falsas e um veículo Chevrolet Prisma de placas OTM-7449, de Altamira, além de R$ 520 em cédulas falsas, sendo oito notas de R$ 50 e seis de R$ 20. Durante a abordagem, os acusados tentaram subornar os policiais, e acabaram sendo enquadrados no crime de corrupção ativa. 
Prisma apreendido com a dupla de falsários
“Quem tiver sido vítima da dupla, deve procurar a delegacia mais próxima a fim de registrar a ocorrência. A Polícia Civil de Trairão aguarda as vítimas para fazerem o reconhecimento dos suspeitos para que sejam recuperados os bens que foram apreendidos com larápios”, disse o delegado João Milhomem, titular da Delegacia de Trairão. Cristiano Ferreira e Sávio Freitas já foram transferidos para o Centro de Recuperação Regional de Itaituba (CRRI) e o crime comunicado à Justiça Federal, uma vez que se trata de um delito contra o sistema monetário nacional.

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Polícia Civil prende assassino de “Lourinho”


Acusado confessou o crime e disse que matou por vingança (Foto: Antonio Guimarães)

Já está recolhido à cela temporária da Seccional de Polícia o nacional Kilme Carneiro Frota, de aproximados 22 anos de idade, acusado de homicídio em que foi vítima Joabe Martins da Silva, 19, crime ocorrido na noite do último domingo (18). A prisão ocorreu depois de um intenso trabalho de investigação realizado pela equipe do delegado José Dias Bezerra.Segundo o investigador Sena, da Polícia Civil, o indivíduo já estava identificado desde a segunda-feira à tarde, depois que foi apurado que houve uma desavença entre acusado e vítima dias atrás. Kilme Carneiro Frota foi preso em sua residência no bairro Bom Remédio, depois de passar algum tempo escondido. “Depois de identificar o acusado, nós preparamos a abordagem, que foi feita sem dificuldade. Ele não esboçou reação e fizemos a prisão. Agora, ele vai permanecer preso por trinta dias, prorrogáveis por mais trinta, para que seja concluído o inquérito”, afirmou o delegado José Bezerra.
Ao ser interrogado, Kilme informou à polícia que, de fato, houve um desentendimento entre ele e Joabe, que o agrediu. Na ocasião, Kilme teria prometido a Joabe que iria “acertar as contas” com ele. Já na noite de domingo, por volta das 11h30, ele (Kilme) passava pela avenida São José, às proximidades da casa noturna conhecida por clube Quarentão, quando avistou o desafeto. “Eu ‘tava’ com u ma faca e fui ‘pra cima’ dele”, resumiu. Joabe Martins da Silva foi esfaqueado três vezes. Socorrida, a vítima foi encaminhada para o setor de emergência do Hospital Municipal, mas morreu ao dar entrada. (Mauro Torres)

DSEI Rio Tapajós recebe veículos e equipamentos de comunicação


O Dsei recebeu sete caminhonetes Mitsubishi L-200
O Distrito Sanitário Especial Indígena (DSEI) Rio Tapajós recebeu, na última semana, sete caminhonetes tipo pick up, 65 placas solar, 50 rádios transceptores e 50 baterias. Além desses itens, foi entregue o Barco “Muniz Aragão”, que estava em reforma.
"Todos esses equipamentos vão auxiliar na estruturação e melhoria da qualidade no atendimento à população indígena de jurisdição do DSEI, comtemplando as Casas de Saúde Indígena de Itaituba, Jacareacanga e Novo Progresso, e os Polos Bases", explica a coordenadora distrital, Cleidiane Carvalho.
Os veículos novos que se somarão à frota do DSEI Tapajós beneficiarão 10.805 indígenas das etnias Kaiapó, Munduruku e Apiaká, que vivem em 121 aldeias, dividindo-se em 11 Polos Bases pertencentes ao DSEI Rio Tapajós.